Indice

"Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo" ...::: Caridade é Amar e sem caridade não há salvação::::....

O PASSE



PASSE E TÓXICO - Livro Passe e Passista - Roque Jacintho

DÉCIMA SEGUNDA PARTE

Além dos tóxicos mentais de que deve precatar-se o passista, interessado no seu aprimoramento para melhor servir, cumpre cuidar de não ingerir os tóxicos orgânicos que lhe minarão a resistência e poderão, inclusive, turbar-lhe as radiações fluídicas sadias.
Ausência de álcool.
Diminuição do fumo.
Moderação nas pimentas e nos temperos fortes.
Nenhum entorpecente.
Dosar a ingestão de drogas e comprimidos que poderão, quando correspondem a viciações, perturbar-lhe as energias, atrofiando o delicado mecanismo dos viciados por repugnar-lhe a presença daqueles irmãos. Cabe não olvidar que as restrições a que se obriga, por qualificar-se como servidor, não deve querer impô-las à força ao seu próximo que, por vezes, está distante de compreendê-las e nem sempre possui as condições de renunciar suas paixões e preferências habituais.
Não deverá igualmente o passista motejar os que se confiam aos vapôres alcoólicos, nem ironizar dos que usam o fumo, nem repelir os que estão imantados aos pratos fortes, nem condenar inapelavelmente os que são escravos dos entorpecentes ou os que são ciciados em comprimidos ou drogas.
Todo doente precisa é de remédio.
Tendo o passista o remédio necessário, compete-lo dar-se sem destacar ou evidenciar qualquer menosprezo aos que hoje portam desajuste e sem alimentar a presunção de que esteja acima dos outros tão unicamente porque já se despojou dessas inconveniências.
Já, também, o passista que ainda não eliminou de si esses desequilíbrios, não deverá por isso abandonar suas funções por sentir-se amesquinhado. Ao contrário, deverá batalhar consigo mesmo para restringir, nesta ou noutra encarnação, afastá-los inteiramente. A obra de aperfeiçoamento é gradativa e lenta e, por muito arraigado, não se consegue vencer de uma só etapa um comportamento desajustado é bem verdade que nos campos assistenciais da Doutrina Espírita o aprimoramento é uma constante inarredável. Porém, por outro lado, o Espiritismo-cristão não é feito para acolher apenas anjos.
Reconheçamo-nos deficientes, tenhamos, porém, a coragem evangélica de iniciar a nossa própria remodelação, a pouco e pouco, enquanto é tempo.
Coordenador e responsável pelo site: Antonio Carlos Oliveira - Casa Espírita Bezerra de Menezes - Rua Xv de Novembro nº 295 - Araruama